- Advertisment -
Inicio Tecnologia Pressão por lucro barra contratações na divisão Alexa da Amazon

Pressão por lucro barra contratações na divisão Alexa da Amazon

-

A Amazon.com paralisou algumas contratações na divisão Alexa, diante da maior pressão para ganhar dinheiro com a assistente digital ativada por voz, de acordo com duas pessoas a par do assunto.

O recuo começou logo depois que a pandemia atingiu os EUA, no início do segundo trimestre, disseram as fontes. Por vários meses, gestores de certas divisões foram informados de que não poderiam substituir funcionários desligados, embora a empresa tenha começado a permitir o preenchimento de algumas vagas mediante autorização especial. As contratações tinham diminuído nos últimos dois anos, mas as restrições atuais são bem mais severas, avaliam.

Segundo essas pessoas, o foco crescente no lucro fez com que a companhia considerasse a venda de anúncios no serviço Alexa — tática rejeitada anteriormente por medo de prejudicar a experiência do usuário. A retração coincidiu com uma onda de contratações nos galpões de armazenagem nos EUA, onde a Amazon adicionou mais de 175.000 colaboradores para lidar com a disparada dos pedidos online.

Em comunicado enviado por e-mail, um porta-voz informou que a Amazon “não implementou congelamento de contratações e o ritmo de contratações para Alexa e nossa organização de dispositivos continua muito forte. De fato, adicionamos milhares de funcionários à organização desde abril”.

Os dois funcionários, que solicitaram anonimato para discutir uma questão interna, afirmam que nunca houve anúncio oficial de pausa nas contratações, mas que foram orientados a se abster de trazer gente nova.

As ofertas de emprego do grupo Alexa no site da Amazon caíram 43% desde 16 de março, de acordo com uma revisão feita pela Bloomberg, enquanto o total de vagas diminuiu 37%. Na quarta-feira, a Amazon oferecia mais de 28.000 postos de trabalho em seu website. No começo da semana, a companhia anunciou que criaria 3.500 vagas corporativas e na área de tecnologia em seis cidades dos EUA, incluindo Denver, Dallas, Detroit e Phoenix.

A pausa nas contratações marca uma mudança em um dos experimentos mais ambiciosos da Amazon. Somente no ano passado o CEO Jeff Bezos citou os alto-falantes inteligentes Alexa e Echo como exemplo de uma “única grande aposta vencedora” que justificou os riscos de experimentação. “Nenhum cliente estava pedindo um Echo”, escreveu o bilionário em carta anual aos acionistas. “Definitivamente éramos nós que nos perguntávamos.” Bezos destacou as vendas de dispositivos que incluem Alexa, bem como a capacidade da assistente de recitar fatos.

Os alto-falantes Echo atraíram milhões de fãs ao tocar música e responder a perguntas feitas por voz. No entanto, a tecnologia Alexa ainda não ofereceu uma nova experiência transformadora. Pesquisas mostram que a maioria das pessoas usa seus alto-falantes inteligentes para ouvir músicas ou fazer solicitações relativamente simples (como “Alexa, qual é a previsão do tempo para hoje?”), mas recorrem a seus smartphones para tarefas mais complexas.

Google e Apple também vendem alto-falantes ativados por voz, mas incorporaram seus assistentes em milhões de smartphones. A Amazon não oferece telefone celular próprio e, apesar de colocar Alexa em aparelhos de micro-ondas, óculos virtuais e muito mais, a empresa tem dificuldade para transcender a rotina da cozinha ou da sala de estar. As tentativas de ganhar dinheiro por meio de compras realizadas por voz ou aplicativos relacionados a habilidades não decolaram.

The post Pressão por lucro barra contratações na divisão Alexa da Amazon appeared first on Exame.

Últimos Posts

Sem apoio na OMC, Índia tirou Brasil da lista de prioridades para as vacinas contra Covid-19

A Índia vem deixando claro, nos últimos dias, que vender vacinas para o Brasil não é...

YouTube suspende canal de Donald Trump por mais uma semana

O presidente dos EUA, Donald Trump — Foto: Erin...

Petrobras está em negociação com Ultrapar para venda da refinaria Refap

Sede da Petrobras — Foto: André Motta de Souza...

‘Cortei plano de saúde e escola dos filhos’: 2 anos depois, ex-metalúrgicos da Ford seguem desempregados e endividados

Em 17 de fevereiro de 2019, a Ford anunciou que fecharia uma de suas históricas fábricas...
- Advertisement -

Bolsa dos EUA fecham em alta com endosso de Yellen a mais estímulos

Os principais índices acionários de Wall Street subiram nesta terça-feira (19), à medida que a indicada...

Preços do petróleo sobem por otimismo com estímulos antes da posse de Biden

Os preços do petróleo acompanharam os mercados acionários norte-americanos e avançaram nesta terça-feira (19), antes da...

Leitura Obrigatoria

Zoom: aplicativo de videochamadas se...
TECNOLOGIA Mudanças limitam interação feita por...
De acordo com a Amazon, construir uma assistente de...
Pesquisadores da USP Ribeirão Preto desenvolveram uma esteira com...
- Advertisement -
- Advertisement -

Você também pode gostar dissoRelacionado
Recomendado para você