Google Trends 15 anos: 15 dicas para obter o máximo da ferramenta

Google Brasil 1 ano atrás
Atualizada 2021/08/30 at 10:40 PM
Quando o Google Trends foi lançado, em 2006, dissemos às pessoas que ele poderia ser usado para descobrir quais são os sabores de sorvete mais populares em diferentes locais, ou quais participantes do programa de TV American Idol estavam bombando. Hoje, passados 15 anos daquele início, já sabemos que o Google Trends faz muito mais: ele mostra o que realmente importa para as pessoas, nos mais diversos lugares do planeta. 
Usando uma amostra de dados do Google, podemos medir o interesse por assuntos específicos na Busca, chegando ao grau de detalhe das cidades e com informações disponíveis desde 2004 até o presente – inclusive antes do lançamento da ferramenta. 
Para comemorar esse marco, fomos descobrir quais perguntas sobre o Google Trends estavam… bem, estavam “trending” ao longo dos últimos 15 anos. Perguntas do tipo “como usar o Google Trends?” ou “como o Google Trends funciona?” sempre estiveram entre as mais procuradas. Decidimos então responder a essas perguntas com 15 dicas que ajudam as pessoas a aproveitar ao máximo essa ferramenta e descobrir coisas super interessantes. 
 
  1.  Dados por data: O Google Trends é capaz de mostrar quais assuntos as pessoas estavam pesquisando em qualquer data, desde 2004 até alguns minutos atrás. Para isso, ele usa dois conjuntos de dados: históricos (de 2004 até três dias atrás) e tempo real (da última semana). Os dados em tempo real são mais detalhados, minuto a minuto.
  2. Tendências x mais pesquisados: As buscas que estão “trending” (ou em alta) são aquelas que sobem mais rápido. Já as mais pesquisadas representam os termos mais procurados num intervalo específico de tempo. As buscas que estão “trending” são úteis para observar mudanças ao longo do tempo: os dados do Google Trends são dinâmicos, e por isso mostram essas flutuações.
  3. Sempre use o assunto: Quando alguém começa a digitar uma pesquisa no Google Trends, surge a opção de procurar um “termo” ou um “assunto”. Sempre que possível, recomendamos a alternativa “assunto”. Os assuntos independem do idioma, e acomodam diferentes formas de soletrar (e até erros de digitação!), além de diversos jeitos de chamar a mesma coisa. Por isso eles representam melhor uma tendência mais ampla. 
  4. Compare lugares grandes a lugares pequenos: Como comparar pesquisas sobre a mesma coisa feitas, digamos, em Nova York e Kansas City? Bem, o Google Trends normaliza os dados da Busca para facilitar a comparação entre termos. Os resultados da Busca são normalizados ao nível do horário e da localização da pesquisa. Ou seja: os resultados da Busca por região ou lugar têm importância, e por isso dá para ver que o lugar onde mais se pesquisou o termo “brunch” este ano foi Miami – enquanto o lugar onde mais se pesquisou “café da manhã” foi Panama City, na Flórida. 
  5. As tendências de hoje: Em vários países do mundo é possível ver o que está em alta a cada dia. A ferramenta Google Trends também dá uma ideia do volume de pesquisas. 
  6. Descubra o que está em alta neste exato momento: As tendências de busca em tempo real são uma ótima maneira de ver o que está acontecendo naquele exato momento e obter essa informação dentro do contexto da cobertura da imprensa. 
  7. Compare: quem quiser entender a escala de uma tendência pode usar as comparações relativas como um termômetro da popularidade de determinados temas. A previsão do tempo é um dos meus assuntos preferidos, e gosto de usá-la como ponto de referência. Este é um dos tópicos mais amplos e consistentes pesquisados todos os dias pelas pessoas. 
  8. Lugares diferentes buscam as mesmas coisas: Este é um dos meus recursos desconhecidos preferidos no Trends: dá para comparar até cinco assuntos ou termos da Busca – e, para cada um deles, é possível determinar a região específica. Um exemplo: a pessoa pode ver como as pesquisas por Covid-19 variaram em diferentes países do mundo nos últimos 12 meses. 
  9. O Trends conta um pouco sobre os seres humanos: O Google Trends é um conjunto de dados centrado no ser humano. Todos nós pesquisamos assuntos que nos interessam, e por isso o Trends dá uma ideia do que realmente importa para as pessoas. Mesmo que às vezes esses interesses possam parecer estranhos, é provável que mais gente também queira informações sobre qualquer assunto imaginável. O Google Trends ajuda a visualizar e descobrir sobre nossos sonhos, gatos e cachorros e até como consertar um vaso sanitário.
  10. O Trends não é uma enquete: É importante lembrar que o Google Trends não é uma ferramenta que permite criar enquetes sobre temas específicos, e não deve ser confundido com dados de pesquisas de opinião. Ele reflete apenas os interesses de pesquisa sobre determinados assuntos, durante um determinado intervalo de tempo.
  11. … mas ele revela muita coisa: A Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) usa o Trends para rastrear o PIB semanalmente nos intervalos entre seus relatórios trimestrais, como forma de obter uma visão mais detalhada dos rumos da economia mundial.
  12. O preenchimento automático e os dados do Trends são duas coisas diferentes: O preenchimento automático tem o objetivo de prever o que a pessoa quer digitar, para chegar mais rápido aos resultados pesquisados. No entanto, como este é um recurso preditivo, a gente não quer surpreender as pessoas com previsões. Por isso, embora seja possível pesquisar o que você quiser, temos algumas políticas e regras relativas ao que pode aparecer no preenchimento automático. O Trends, por outro lado, é uma ferramenta que permite ver o interesse das pessoas por qualquer assunto, a partir dos dados da Busca. Uma vez que quem digita e pede para ver os resultados é o próprio usuário, a gente mostra os dados disponíveis no Trends para quaisquer termos que a pessoa desejar.
  13. Saiba o que está em alta perto de você: Outro recurso interessante do Trends nos Estados Unidos é a possibilidade de ver o que está em alta numa área urbana, sem nem precisar digitar um termo de busca. Dá para ver o que estava “trending” no mês passado, e até no último ano. Como exemplo, veja abaixo o que estava em alta na cidade de São Francisco no último mês
  14. Baixe seus dados: Basta clicar no ícone da setinha ao lado de cada gráfico para baixar as informações. No caso de conjuntos de dados maiores, vale a pena conferir este novo conjunto de buscas diárias em alta, feito pela equipe de BigQuery do Google.
  15. E não se esqueça que o Google Trends é divertido! Cerca de 15% das pesquisas feitas diariamente na Busca do Google são completamente novas, e nunca foram feitas antes. Esse é um jeito muito legal de espiar os bastidores e descobrir como os interesses de pessoas de todo o mundo mudam, o tempo todo.
Simon Rogers, editor de Dados do Google Trends

TAGGED: Google
Share this Article