>>>
- Advertisment -
Inicio Brasil Colômbia expulsa suposto espião venezuelano que fingiu desertar do chavismo

Colômbia expulsa suposto espião venezuelano que fingiu desertar do chavismo

-

Autoridades da Colômbia expulsaram na noite de quinta-feira (11) um suposto militar venezuelano que se apresentava como desertor do governo Nicolás Maduro para se estabelecer no país e espionar o exército.

Gerardo Rojas Castillo foi expulso para a Venezuela “de maneira discricionária pela autoridade de imigração” com base em um relatório do exército no qual foi acusado de realizar “atividades não autorizadas que colocariam em risco a segurança nacional”, informou o departamento de Imigração da Colômbia em um comunicado.

A expulsão implica uma proibição de entrar na Colômbia durante 10 anos.

Rojas Castillo admitiu ser membro da Força Nacional Bolivariana e, no momento de sua prisão, foram encontrados documentos que o credenciavam como o segundo sargento ativo dessa força, informou o general Gerardo Melo Barrera, comandante da Primeira Divisão do Exército da Colômbia.

A inteligência militar colombiana o monitorava há mais de um ano, segundo o general.

O homem entrou na Colômbia em fevereiro de 2019, no contexto da entrada fracassada de ajuda dos Estados Unidos à Venezuela, como um dos mais de mil desertores militares e policiais do governo Maduro, disse uma fonte do governo à AFP.

O processo contra ele indica que foi encontrado espionando uma base militar em Valledupar (norte).

No começo, ele fingiu ser o dono de uma barraca de suco em frente a uma instalação do exército e depois monitorou “movimentos externos” como guarda de segurança de uma empresa privada, explicou Melo Barrera.

Além disso, as autoridades descobriram que Rojas Castillo retornou à Venezuela depois que se estabeleceu na Colômbia, apesar do anúncio de Maduro de que ele seria cruel com os desertores, explicou a fonte que pediu anonimato.

Maduro rompeu relações com a Colômbia em meio à tentativa frustrada de enviar ajuda à Venezuela.

O governo de Iván Duque apoia os Estados Unidos e seus esforços para remover o presidente socialista do poder. Por esse motivo, ao lado de cinquenta nações, reconhece o opositor Juan Guaidó como presidente interino da Venezuela.

Maduro acusa a Colômbia de apoiar tentativas armadas para derrubá-lo, o que Bogotá nega.

Últimos Posts

Governo libera pagamento do Garantia-Safra para 197 mil agricultores familiares

Produtos da agricultura familiar no Piauí — Foto: Divulgação/Ccom...

O que acontece quando um post no Twitter é marcado como enganoso

Marcação do Twitter em post do ministério. Pasta apagou...

Balança comercial registra déficit de US$ 2,634 bilhões na segunda semana de janeiro

A balança comercial brasileira registrou déficit de US$ 2,634 bilhões na segunda semana de janeiro, informou...

Ações europeias fecham em alta com salto de Stellantis e papéis de luxo

As ações europeias subiram nesta segunda-feira (18) uma vez que o forte avanço dos papéis da...
- Advertisement -

Último dia para aproveitar os saldos de verão da Amazon

Hoje, 18 de outubro, é o último dia para você aproveitar as ofertas de verão da Amazon. São descontos...

Estúdio de design cria bola de futebol que não precisa ser inflada

O futebol é o esporte mais popular do mundo, em parte porque o único equipamento de que você precisa...

Leitura Obrigatoria

- Advertisement -
- Advertisement -

Você também pode gostar dissoRelacionado
Recomendado para você