1 de 1
Joe Biden, candidato democrata a presidente dos EUA, usa máscara ao chegar ao estado de Wisconsin nesta quinta-feira (3) — Foto: Kevin Lamarque/Reuters

Joe Biden, candidato democrata a presidente dos EUA, usa máscara ao chegar ao estado de Wisconsin nesta quinta-feira (3) — Foto: Kevin Lamarque/Reuters

Pela primeira vez em quase dois séculos de existência, a revista “Scientific American” anunciou seu apoio ao candidato democrata à Casa Branca, Joe Biden. Em editorial publicado na terça-feira (15), a revista se posicionou contra o negacionismo do presidente Donald Trump.

A famosa publicação disse não ter tomado a decisão “de maneira leviana” depois de ficar fora do processo eleitoral durante 175 anos: “Fomos obrigados a fazer isso, Trump rejeita as evidências científicas”.

“O exemplo mais devastador é sua [de Trump] resposta desonesta e inepta à pandemia da Covid-19”, escreve a Scientific American.

A revista é uma das mais respeitadas entre os títulos de divulgação científica e foi fundada em 1845. Com reportagens especializadas, chegou a publicar em seu editorial, um artigo de Albert Einstein em 1950.

“Em sua negação da realidade, Trump bloqueou a ações dos EUA contra as mudanças climáticas”, disse o editorial. “Alegando falsamente elas não existem, e tirando o país dos acordos internacionais que buscam a mitigação das emissões.”

A publicação disse ainda que Trump tem “atacado medidas de proteção ambiental, assistência médica, pesquisadores e agências científicas públicas que estão ajudando o país a se preparar para seus maiores desafios”.

A revista incentiva seus leitores a votar em Biden porque o candidato apresenta um programa que “busca proteger nossa saúde, nossa economia e nosso meio ambiente”. O democrata propõe investir US$ 2 bilhões em meio ambiente e energia limpa, para alcançar a neutralidade de carbono até 2050.

VÍDEOS: Eleições nos EUA 2020

ELEIÇÕES NOS EUA 2020