>>>
- Advertisment -
Inicio Brasil TCU pede ao governo explicações sobre destinação de R$ 5 bilhões para fundo de turismo

TCU pede ao governo explicações sobre destinação de R$ 5 bilhões para fundo de turismo

-

O Tribunal de Contas da União (TCU) decidiu nesta quarta-feira (17) pedir ao Ministério da Economia explicações sobre o crédito extraordinário de R$ 5 bilhõesdestinado ao Fundo Geral de Turismo (Fungetur) por meio de medida provisória publicada em 7 de maio.

O TCU quer saber se o dinheiro está relacionado à crise do coronavírus e se atende a requisitos de urgência.

A decisão foi tomada dentro de um processo que analisa as ações do governo no combate aos efeitos da pandemia.

De acordo com o relator do processo, ministro Bruno Dantas, o recurso se destina ao financiamento de bens e equipamentos, obras civis para implantação, ampliação, modernização e reforma de empreendimentos turísticos.

“A realização de obras civis em empreendimentos turísticos não parece atender a requisitos de imprevisibilidade e urgência”, afirmou.

Em 8 de maio, durante entrevista no Palácio do Planalto, o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, afirmou que 80% dos recursos irão para empréstimos a micro, pequenas e médias e empresas e os demais 20% para grandes empresas. Segundo o Ministério do Turismo, a linha de crédito atenderá desde agências e locais de hospedagem até parques temáticos e centros de convenções.

Segundo o ministro Bruno Dantas, do TCU, sem a urgência, o valor poderia ser liberado de forma comum, e não como crédito extraordinário, e deveria atender à regra do teto de gastos.

No processo, o TCU ainda recomenda ao Ministério da Economia que todas as medidas tomadas, com base nas regras do chamado “orçamento de guerra“, sejam acompanhadas de justificativa de que a despesa ou a renúncia tributária possua relação com a covid-19 ou suas consequências econômicas e sociais.

Dantas destacou que a aplicação da Lei de Responsabilidade Fiscal e da regra do teto de gastos estão temporariamente suspensas, por causa da pandemia, mas “não se pode admitir que a crise sirva para adotarmos soluções excepcionais para os tempos de normalidade pós-crise”.

Turismo e vestuário são setores mais afetados pela pandemia do coronavírus

Turismo e vestuário são setores mais afetados pela pandemia do coronavírus

Últimos Posts

Diesel sobe pela 7ª semana seguida nos postos do Brasil; gasolina também avança

Diesel aumentou cerca de R$ 0,10 em alguns postos...

Pilotos de avião que atuem na crise no AM podem ultrapassar limite de tempo de voo, diz Anac

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) decidiu nesta sexta-feira (15) que pilotos de avião que...

Governo volta a zerar imposto de importação de cilindros de oxigênio

O Comitê Executivo de Gestão da Câmara de Comércio Exterior (Camex), do Ministério da Economia, decidiu...

Twitter diz que post de Bolsonaro sobre ‘tratamento precoce’ da Covid viola regras da plataforma, mas mantém a mensagem no ar

O Twitter colocou por volta das 20h desta sexta-feira (15) uma marcação no post do presidente...
- Advertisement -

NRA, associação que faz lobby pró-armas nos EUA, pede falência

Encontro anual da NRA em Indianápolis, nos EUA, em...

Bolsa dos EUA fecham em baixa com pressão de ações de bancos e energia

Os principais índices de Wall Street encerraram em queda nesta sexta-feira (15), sob o peso dos...

Leitura Obrigatoria

- Advertisement -
- Advertisement -

Você também pode gostar dissoRelacionado
Recomendado para você