fbpx
- Advertisment -
Inicio Brasil Santander inicia demissões após assumir compromisso público de manter empregos

Santander inicia demissões após assumir compromisso público de manter empregos

-

1 de 1
Logo do banco Santander em Londres. — Foto: Luke MacGregor/Reuters

Logo do banco Santander em Londres. — Foto: Luke MacGregor/Reuters

O Santander demitiu mais de 200 funcionários nas últimas semanas, depois de assumir compromisso público de que não faria cortes durante a pandemia do novo coronavírus. O balanço, em nível nacional, é do Sindicato do Bancários de São Paulo, atualizado até esta sexta-feira (19).

Desde o início da crise, o banco deu ao menos três demonstrações de que não faria cortes de pessoal.

O indicativo mais importante está registrado nas demonstrações financeiras do primeiro trimestre, publicadas em abril.

As páginas 7 e 8 do documento dizem o seguinte: “As pessoas são elemento essencial na Organização. Afinal, são elas que pensam, projetam, desenvolvem, interagem e constroem aquilo que o Banco Santander deseja ser. Esse é o motivo de o banco investir em cada um dos 47.192 funcionários aqui no Brasil. (…) Devido ao contexto atual do Covid-19, o Santander firmou o compromisso de não demitir funcionários durante a crise.”

Além do registro no balanço trimestral, o banco havia firmado acordo com o sindicato de bancários de que não demitiria “durante o período mais crítico da epidemia”, acompanhando resolução dos concorrentes Itaú e Bradesco.

O terceiro compromisso foi a adesão à campanha “Não Demita”, junto com mais de 4 mil empresas que prometeram manter suas equipes, como Magazine Luiza, Natura e Boticário.

Empresários criam movimento "Não Demita"

Empresários criam movimento “Não Demita”

O Santander diz que não houve quebra de compromisso. O banco afirma que respeitou o período acordado no movimento Não Demita, que garantia congelamento das demissões por 60 dias.

As demais promessas seguiram, segundo o banco, o mesmo intervalo. A empresa diz ainda que abriu recentemente mais de 1.500 vagas para profissionais de Tecnologia, Dados, Riscos, Finanças e Jurídico.

“Nosso compromisso social segue inabalável. (…) como parte da gestão de qualquer negócio, a liderança do banco iniciou um processo de reavaliação do nível de produtividade de suas equipes, que deve ser contínuo em uma empresa que busca manter o melhor nível de eficiência da indústria”, diz o Santander em nota enviada à reportagem do G1.

E prossegue: “O movimento é necessário para fazer frente a um entorno muito mais desafiador, além da necessidade de navegar com eficácia em um ambiente de arquitetura aberta, trabalho em rede e busca incessante de níveis de automação ainda mais contundentes.”

Ainda assim, as demissões causaram uma onda de protestos de funcionários nesta semana. A hashtag #SantanderRespeiteOBrasil reuniu reclamações sobre metas de quem fica e sobre demissões durante o surto de Covid-19. O “tuitaço” chegou aos tópicos mais comentados.

Funcionários e sindicalistas questionam as dispensas em momento que o Santander Brasil registrou crescimento de 10,5% no lucro líquido no primeiro trimestre, para R$ 3,774 bilhões. Na comparação com o quarto trimestre, também houve alta de 0,7% nos ganhos.

Últimos Posts

Super-ricos recuperam perdas econômicas provocadas pela pandemia, diz Oxfam

Os super-ricos já recuperam as perdas econômicas provocadas pela pandemia de coronavírus, de acordo com o...

Cerca de 500 funcionários da Airbus ficam em quarentena após o surto de Covid-19 em Hamburgo

Airbus A380, da Air France, decolando do aeroporto de...

Combustível de iodo pode reduzir lixo espacial com "suicídio de satélites"

Não conseguimos ver daqui, mas há muito lixo espacial na órbita...

EUA superam 25 milhões de casos de Covid-19, apontam dados da Johns Hopkins

Painel de monitoramento da Universidade Johns Hopkins em 24...
- Advertisement -

Seu Facebook deslogou sozinho? Rede diz que foi “mudança de configuração”

Usuários do Facebook relataram (em outras redes sociais, óbvio) que tinham sido deslogados da rede sem motivo aparente na...

Leitura Obrigatoria

- Advertisement -
- Advertisement -

Você também pode gostar dissoRelacionado
Recomendado para você