Brasil O assassinato de Hariri, o dia que o Líbano tremeu

O assassinato de Hariri, o dia que o Líbano tremeu

-

- Advertisment -


Um tribunal internacional vai anunciar seu veredito de quatro homens acusados de participar do atentado que matou o ex-primeiro-ministro do Líbano em 2005. Manifestantes em frente ao prédio do tribunal onde acontece o julgamento de quatro acusados pelo atentado que matou o ex-primeiro ministro do Líbano Rafic Hariri
Kenzo Tribouillard / AFP
O atentado contra o ex-primeiro-ministro Rafic Hariri é para muitas pessoas do Líbano o equivalente ao assassinato de Kennedy para os americanos: todos lembram o que estavam fazendo naquele dia 14 de fevereiro de 2005. O bilionário sunita, que encarnava a era da reconstrução após a guerra civil (1975-1990), foi assassinado na explosão de uma caminhonete-bomba na passagem de seu comboio blindado.
Nesta terça-feira (18), um tribunal com apoio da ONU vai começar a anunciar seu julgamento de quatro homens libaneses do grupo Hezbollah que foram acusados de participar do ataque. São eles Salim Jalil Ayyash, Hassan Habib Merhi, Hussein Hassan Oneissi e Assad Hassan Sabra.
Apesar do período de instabilidade política no Líbano, não há provas de atentado
A explosão provocou uma bola de fogo no centro de Beirute. As chamas alcançaram vários metros de altura e as janelas de prédios nos arredores quebraram em um raio de meio quilômetro.
O homem-bomba ao volante da caminhonete branca carregada com duas toneladas de explosivos estacionou estrategicamente para esperar o comboio, que havia acabado de sair do Parlamento e seguia para a residência de Hariri.
Às 12h55, o detonador foi ativado, um segundo após a passagem do terceiro veículo, um Mercedes S600 dirigido pelo próprio Rafic Hariri.
Muitas pessoas pensaram em um terremoto. Beirute inteira ouviu ou sentiu a explosão, que deixou uma cratera de 10 metros de diâmetro e dois metros de profundidade.
As notícias não demoraram a chegar. O ex-primeiro ministro, que se juntou à oposição em 2004, estava entre os 22 mortos.
Os guarda-costas também morreram. O estrago foi de tal magnitude que levou 17 dias para que o corpo de uma das vítimas fosse encontrado e 226 pessoas ficaram feridas. ‘Crime hediondo’
A indignação foi global. O presidente francês Jacques Chirac, amigo íntimo de Hariri, e sua esposa Bernadette viajaram a Beirute para oferecer suas condolências à família.
Chirac denunciou um “crime hediondo”.
Apesar de não estar no cargo, o homem de 60 anos, de bigode e cabelos grisalhos, desempenhava um papel político inevitável no país. Contava com o apoio da Arábia Saudita e a expectativa era que recuperasse o posto de primeiro-ministro.
O ataque não foi uma surpresa. Em fevereiro do mesmo ano, Chirac e o enviado da ONU, Terje Roed-Larsen, o aconselharam a manter um perfil discreto. Em outubro de 2004, o ex-ministro libanês Marwan Hamade, próximo de Hariri, escapou por pouco de um ataque semelhante.
O ex-primeiro-ministro endureceu seu tom contra a ocupação síria do Líbano e liderou a frente política que exigia a saída das tropas de Damasco após três décadas de ocupação.
Tinha o apoio da França e dos Estados Unidos, que votaram em setembro de 2004 a resolução 1559 do Conselho de Segurança da ONU, que implicitamente pedia a retirada das forças sírias.
Protestos pós assassinatos
O assassinato de Hariri acelerou o curso da história. Provocou uma onda de raiva sem precedentes no Líbano, desencadeando protestos gigantescos que forçaram Damasco a se retirar alguns meses depois.
Com a saída, o movimento xiita Hezbollah, principal suspeito do assassinato de Hariri, mas que sempre negou estar envolvido, aproveitou a oportunidade para ganhar destaque no cenário político.
Essa milícia apoiada pelo Irã é a única facção que não abandonou o arsenal militar após a guerra civil. Quando o patriarca faleceu, seu filho Saad Hariri entrou na política. Ele também foi primeiro-ministro do Líbano várias vezes, mas nunca alcançou a estatura de seu pai.
No local do ataque, à beira-mar de Beirute, uma estátua de Rafic foi construída, retratado com as mãos nos bolsos.

Últimos Posts

Sistema Solar pode chegar ao fim antes do previsto

O Sistema Solar pode chegar ao fim antes do que se previa anteriormente. É o que sugere um novo...

James Wan, de Aquaman, está produzindo novo filme de Van Helsing

O cineasta James Wan está desenvolvendo, como produtor executivo, o novo filme de Van Helsing para a Universal Studios....

Black Friday Magalu despacha mais de 1 milhão de itens por dia

Mais de 1 milhão de itens despachados por dia. Esse é o recorde batido pelo Magazine Luiza, que, com...

Como hackers podem usar cientistas para criar genes perigosos

Em uma nova carta ao editor tirada da prestigiosa revista científica Nature, uma equipe de pesquisadores israelenses levanta uma...
- Advertisement -

Supernatural: quais são as melhores temporadas da série?

Analisando a história e a trajetória de Supernatural, ao longo de 15 temporadas o público acompanhou tramas extremamente interessantes....

Estes produtos de Metal Gear Solid farão qualquer um virar Snake

Em parceria com a companhia de moda japonesa Super Groupies, a Konami lançou uma linha de produtos e acessórios...

Leitura Obrigatoria

- Advertisement -
- Advertisement -

Você também pode gostar dissoRelacionado
Recomendado para você