>>>
- Advertisment -
Inicio Brasil Novos pedidos de seguro-desemprego nos EUA caem pela 11ª semana

Novos pedidos de seguro-desemprego nos EUA caem pela 11ª semana

-

O número de norte-americanos que solicitaram auxílio-desemprego na última semana ficou em 1,508 milhão, segundo dados divulgados nesta quinta-feira (11) pelo Departamento do Trabalho dos Estados Unidos.

Foi a 11ª queda semanal seguida do indicador – que segue, no entanto, várias vezes superior ao número médio de pedidos pré-pandemia. Além disso, o número total de novos pedidos desde meados de março, quando houve uma aceleração brusca do indicador, já soma mais de 45,7 milhões.

O total de pedidos feitos na semana anterior foi revisado de 1,542 milhões para 1,566 milhões. Assim, o número de novos desempregados foi surpreendentemente alto, registrando uma queda de apenas 58 mil em comparação com a semana anterior.

Uma segunda onda de demissões em meio à demanda fraca e cadeias de suprimentos fraturadas mantém os novos pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos elevados, apoiando visões de que a economia enfrenta uma recuperação longa e difícil da recessão pelo Covid-19.

Na semana terminada em 21 de março, o número de pedidos de seguro desemprego saltou para 3,3 milhões de trabalhadores, e na semana seguinte dobrou e atingiu o seu nível mais alto, com 6,9 milhões de requerimentos.

Covid-19 nos EUA: situação americana, que parecia controlada, preocupa cada vez mais

Covid-19 nos EUA: situação americana, que parecia controlada, preocupa cada vez mais

O relatório de pedidos de auxílio-desemprego, os dados mais oportunos sobre a saúde da economia, poderia oferecer pistas sobre a rapidez com que as empresas recontratam trabalhadores à medida que reabrem e sobre o sucesso do programa de proteção de emprego do governo.

Uma ampla quarentena no país em meados de março para conter a disseminação da Covid-19 resultou no pior desemprego desde a Grande Depressão. A economia perdeu um recorde de 20,5 milhões de empregos em abril, acima da perda de 881.000 posições em março.

Os pedidos de auxílio permanecem elevados, apesar de os empregadores terem contratado um recorde de 2,5 milhões de trabalhadores em maio, conforme as empresas reabriram após terem sido fechadas em meados de março para retardar a disseminação da Covid-19.

O chair do Federal Reserve, Jerome Powell, disse a parlamentares nesta semana que “permanece uma incerteza significativa sobre o momento e a força da recuperação”.

A economia entrou em recessão em fevereiro.

“As pessoas dirão que as reivindicações estão caindo, mas para uma economia que está reabrindo, esse é um número enorme”, disse Steven Blitz, economista-chefe da TS Lombard em Nova York.

“A economia está perdendo trabalhadores e empregos além do impacto inicial ligado às empresas que fecharam. Existem muitos setores que estão sendo prejudicados e que começam a tombar acentuadamente, é isso que esses números estão mostrando.”

Da manufatura e varejo à tecnologia da informação e produção de petróleo e gás, as empresas anunciaram cortes de empregos. Os governos estaduais e locais, cujos orçamentos foram abalados pela luta contra a Covid-19, também estão cortando empregos.

Últimos Posts

Diesel sobe pela 7ª semana seguida nos postos do Brasil; gasolina também avança

Diesel aumentou cerca de R$ 0,10 em alguns postos...

Pilotos de avião que atuem na crise no AM podem ultrapassar limite de tempo de voo, diz Anac

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) decidiu nesta sexta-feira (15) que pilotos de avião que...

Governo volta a zerar imposto de importação de cilindros de oxigênio

O Comitê Executivo de Gestão da Câmara de Comércio Exterior (Camex), do Ministério da Economia, decidiu...

Twitter diz que post de Bolsonaro sobre ‘tratamento precoce’ da Covid viola regras da plataforma, mas mantém a mensagem no ar

O Twitter colocou por volta das 20h desta sexta-feira (15) uma marcação no post do presidente...
- Advertisement -

NRA, associação que faz lobby pró-armas nos EUA, pede falência

Encontro anual da NRA em Indianápolis, nos EUA, em...

Bolsa dos EUA fecham em baixa com pressão de ações de bancos e energia

Os principais índices de Wall Street encerraram em queda nesta sexta-feira (15), sob o peso dos...

Leitura Obrigatoria

- Advertisement -
- Advertisement -

Você também pode gostar dissoRelacionado
Recomendado para você