>>>
- Advertisment -
Inicio Brasil Furacão Laura sobe para categoria 3 e ameaça costa dos EUA

Furacão Laura sobe para categoria 3 e ameaça costa dos EUA

-

1 de 3
Imagem de satélite mostra raios no furacão Laura — Foto: NOAA/ Via REUTERS

Imagem de satélite mostra raios no furacão Laura — Foto: NOAA/ Via REUTERS

O furacão Laura se fortaleceu nesta quarta-feira (26) e se tornou um furacão de categoria 3, com ventos de até 185 km/h, ameaçando a costa americana do Golfo do México com inundações potencialmente “catastróficas”, anunciou o Centro Nacional de Furacões (NHC, sigla em inglês).

O furacão Laura causou a morte de pelo menos 24 pessoas no Haiti e na República Dominicana.

A previsão é que o Laura continue a ganhar força, até se tornar um furacão de categoria 4, conforme se aproxima da costa do sudoeste do estado de Louisiana e de parte do Texas nesta quarta, informou o NHC.

Tempestade Laura se aproxima de Key West, nos EUA

Tempestade Laura se aproxima de Key West, nos EUA

Laura também ameaça os principais centros de refino de petróleo de Lake Charles, em Louisiana, e em Beaumont e Port Arthur, no Texas, localizados perto da costa.

2 de 3
25 de agosto – Moradores caminham por uma rua afetada pela passagem da tempestade tropical Laura, em Porto Príncipe, Haiti — Foto: Andres Martinez Casares/Reuters

25 de agosto – Moradores caminham por uma rua afetada pela passagem da tempestade tropical Laura, em Porto Príncipe, Haiti — Foto: Andres Martinez Casares/Reuters

“Têm apenas algumas horas para se preparar e evacuar”, alertou John Bel Edwards, governador de Louisiana, estado ainda traumatizado pela devastação causada em 2005 pelo Katrina, furacão de categoria 5 (máxima) que inundou 80% de Nova Orleans. Deixou 1.000 mortos e danos enormes.

“Onde quer que você esteja ao meio-dia, é onde você terá que enfrentar a tempestade”, acrescentou.

3 de 3
Issac Alvarado (direota) e Kevin Enriquez colocam tapumes em uma loja de decorações em Galveston, Texas, antes da chegada do furacão Laura, na terça-feira (25) — Foto: AP Photo/David J. Phillip

Issac Alvarado (direota) e Kevin Enriquez colocam tapumes em uma loja de decorações em Galveston, Texas, antes da chegada do furacão Laura, na terça-feira (25) — Foto: AP Photo/David J. Phillip

Indústria de óleo e gás

A indústria petrolífera também se prepara para a chegada de Laura, reduzindo a produção de petróleo a um nível que se aproxima do verificado à época do furacão Katrina, em 2005, e interrompendo o refino de petróleo em unidades da costa do Texas/Louisiana.

De acordo com a Reuters, na segunda-feira, a tempestade já havia interrompido a produção de 1,5 milhão de barris por dia (bpd) de petróleo, cerca de 82% da produção “offshore” do Golfo do México –nível que se aproxima da paralisação de 90% causada pelo Katrina há 15 anos.

Refinarias paralisaram instalações que processam pelo menos 1,8 milhão de bpd de petróleo, 10% da capacidade total dos EUA, segundo cálculo da agência. Na esteira da interrupção, os preços da gasolina dispararam nesta terça-feira, acumulando alta de mais de 10% desde sexta-feira.

“Haverá uma tempestade significativa de Galveston, no Texas, até o rio Sabine”, área que compreende algumas das maiores refinarias da região, disse Kerr, da DTN. “Há condições ideais nas regiões central e oeste do Golfo para uma rápida intensificação.”

O fenômeno climático deve levar a fortes chuvas em uma área que representa mais de 45% da capacidade total de refino dos EUA e 17% da produção de petróleo, segundo a Administração de Informação sobre Energia (AIE).

Últimos Posts

- Advertisement -

Leitura Obrigatoria

- Advertisement -
- Advertisement -

Você também pode gostar dissoRelacionado
Recomendado para você