Anúncio
Anuncie
Anúncio

Os anos 80 foram realmente inesquecíveis em matéria de entretenimento. Quando falamos em cultura popular, podemos dizer que esta década é revolucionária e serviu de marco zero para o que temos hoje. Sim, é verdade que já tínhamos o cinema e a TV nos divertindo muitos anos antes da década de 80, mas o que acontece é que a partir deste período as coisas se elevaram a um patamar inimaginado. Essa foi a época em que o que víamos nas telas transcendia mídias como o cinema e a televisão para vir fazer parte de nossas rotinas e dia a dia. Assim, as aventuras nascidas da sétima arte se tornavam blockbusters, e este sucesso gerava uma trajetória para outras mídias e produtos, como desenhos animados, videogames, brinquedos, revistas em quadrinho e todo tipo de merchandising que os mantinham na mídia.

Comprovando a frase de que cinema é a maior diversão, diversos filmes da década de 1980 continuam fortes em nossas vidas até hoje, isso mesmo depois de terem se passado quarenta anos – em alguns casos (os filmes do começo da década). Aqui, só para não perder o costume, iremos homenagear essa década tão especial, voltando 35 anos no passado para 1986, relembrando os maiores sucessos das telonas desta época tão querida. Confira abaixo e não esqueça de comentar dizendo quais você já assistiu.

10 | Curtindo a Vida Adoidado

Anúncio

Clássico máximo da Sessão da Tarde e das exibições de sábado e domingo à tarde na Globo, os que cresceram na década de 1980 vão ainda mais longe, lembrando de quando a comédia foi exibida pela primeira vez de forma inédita na Tela Quente. A trama todos estão cansados de saber: o adolescente “gazeteiro” Ferris Bueller (Matthew Broderick) resolve tirar um dia de folga da escola e convence seu melhor amigo e sua namorada a o acompanharem. Segundo o próprio, a vida é muito curta para não aproveitá-la. O longa se tornou o filme definitivo sobre “matar aula” no cinema. Uma boa continuação nos dias de hoje seria ver Bueller adulto, agora como diretor de um colégio, enfrentando um aluno tão escorregadio quanto ele foi no passado. Curtindo a Vida Adoidado, do saudoso John Hughes, custou US$6 milhões para a Paramount e além de arrecadar mais de US$70 milhões em bilheteria, ainda viveria para se tornar um dos filmes mais emblemáticos dos anos 80.

09 | Por Favor, Matem Minha Mulher

Hoje, os atores Danny DeVito e Bette Midler, conhecidos por filmes de comédia, podem até se encontrar meio sumidos dos holofotes, porém, em algum momento da década de 80, os nomes deles foram alguns dos mais quentes da indústria de Hollywood. De Fato, DeVito até tem virado assunto atual com a sequência de Irmãos Gêmeos (1988), Irmãos Trigêmios, e com a campanha insana de alguns malucos na internet para que seja o novo Wolverine do cinema. Midler não sai por menos e gera hype para Abracadabra 2. Ou seja, ambos ensaiam um retorno. Há 35 anos no passado, no entanto, um filme teve a sorte de juntá-los em cena. Trata-se de Por Favor, Matem Minha Mulher, no qual DeVito vive um empresário rico e inescrupuloso que tem a esposa (Midler) sequestrada por um casal que ele passou para trás. A sacada é que o ricaço está dando festa pelo sumiço da mulher, uma verdadeira megera que fará a vida dos bandidos iniciantes (vividos por Judge Reinhold, de Um Tira da Pesada, e Helen Slater, de Supergirl – O Filme) um verdadeiro inferno. No comando da comédia, o trio de Apertem os Cintos, o Piloto Sumiu (David e Jerry Zucker, e Jim Abrahams). Por Favor, Matem Minha Mulher custou US$13 milhões aos cofres da Disney (através da Touchstone Pictures) e rendeu mais de US$71 milhões em bilheteria.

08 | O Rapto do Menino Dourado

Você certamente já ouviu falar do conceito dos “filmes gêmeos”. Ele se refere ao fato de certos filmes lançados de forma muito próxima (quase sempre no mesmo ano) possuírem histórias ou temáticas muito parecidas. E há 35 anos no passado, isso ocorria com dois longas voltados para aventuras místicas, repletas de magia e com a cultura chinesa como pano de fundo. Enquanto Os Aventureiros do Bairro Proibido fracassou financeiramente, mas depois viria a se tornar um cult absoluto, O Rapto do Menino Dourado se beneficiava da presença de um astro daquele momento, Eddie Murphy, para se dar bem. Na trama, o comediante é um detetive particular especializado em encontrar crianças desaparecidas, contratado para investigar o sumiço de um menino iluminado, sequestrado por forças sobrenaturais malignas. Tendo em mente que este foi o filme escolhido por Murphy para seguir o sucesso estrondoso de Um Tira da Pesada (1984), com um orçamento de US$25 milhões da Paramount, o filme arrecadou US$80 milhões em bilheteria.

07 | Aliens – O Resgate

Quando falamos em continuações que são melhores que o seu original na história do cinema, poucos filmes veem à nossa mente cinéfila. Um deles definitivamente é Aliens – O Resgate, lançado há 35 anos, que continua a história eletrizante de Alien – O Oitavo Passageiro (1979). Isso se dá pelo diretor em comando, James Cameron, que tem em seu currículo não apenas uma sequência melhor que o original, mas duas, com O Exterminador do Futuro 2 (1991) sendo a segunda. O que o cineasta faz em Aliens é aumentar tudo de forma positiva e subverter o clima intimista e quase estático de puro medo do original, transformando essa segunda parte num filme de guerra espacial, recheado de adrenalina, porém, sem esquecer o fator determinante: o terror. O filme da extinta Fox (agora Disney) se tornou um dos mais populares da época e uma das propriedades mais valiosas adquiridas recentemente pela Disney. Com um orçamento de US$18.5 milhões, viu de volta em bilheteria US$85 milhões só nos EUA – US$131 milhões mundiais.

06 | De Volta às Aulas

Vamos pensar assim, tudo o que vemos hoje no cinema e achamos super original e especial, podemos ter a certeza de que não é, e de que algo muito similar já foi feito no passado, servindo de inspiração para o que vemos agora. Por isso a história nos é tão importante como sociedade. E na arte o mesmo ocorre. Em 2018, a comediante de sucesso Melissa McCarthy protagonizou a comédia Alma da Festa, sobre uma mulher de meia idade que resolve se matricular na mesma universidade de sua filha. Bem, por mais divertido que possa ser, o filme de Melissa é basicamente uma refilmagem deste De Volta às Aulas, que traz a mesma trama, apenas trocando o sexo dos protagonistas (um homem de meia idade, seguindo o filho na instituição de ensino) e o fato de ser um sujeito “podre” de rico. Aqui também tínhamos um comediante gordinho liderando o elenco, o saudoso Rodney Dangerfield – que todos deveriam conhecer. Keith Gordon (Christine – O Carro Assassino) interpreta o filho, e Robert “Homem de Ferro” Downey Jr. ainda na adolescência interpreta o melhor amigo “punk” do rapaz. Com um orçamento de US$11 milhões, o filme arrecadou para a renovada Orion Pictures (um marco dos 80’s), mais de US$91 milhões.

05 | Jornada nas Estrelas IV – A Volta para Casa

Sim, querido leitor, nesta época a franquia Star Trek era chamada por sua versão brasileira Jornada nas Estrelas; assim como Star Wars ainda era Guerra nas Estrelas. Pegando carona na viagem espacial do ator William Shatner, intérprete do protagonista Capitão Kirk, que aos 90 anos deu “um pulinho” fora de órbita recentemente, chega na nossa quinta posição da lista um dos filmes da franquia que o imortalizou. Nos filmes originais da tripulação da Enterprise, um fato curioso se tornou muito conhecido dos fãs: os episódios pares da série no cinema eram os bons, e os ímpares eram os ruins. Para a sorte dos fãs, há 35 anos no passado, os cinemas exibiam o quarto filme, que leva Kirk, Spock e toda a tripulação de volta ao passado de 1986 para a aventura mais celebrada da franquia, dona de uma missão ecológica mais que importante e emocionante. Nas mãos da Paramount, o filme custou US$25 milhões, porém, recuperou mais de US$109 milhões.

04 | Karatê Kid 2

Com o subtítulo desnecessário de A Hora da Verdade Continua, ganhávamos dois anos depois do estrondoso sucesso original, a continuação de Karatê Kid. Precisava? Não. Mas isso serve para mostrar que sequências deslocadas e caça-níqueis são tão antigas quanto o berço dos blockbusters. O primeiro Karatê Kid (1984) possui uma história fechadinha, contida em si mesmo que, é claro, falava sobre bullying e sobre as formas de superarmos nosso medo e nos defendermos. O segundo leva nossos queridos Daniel e Sr. Miyagi para o Japão, mudando completamente de cenário a ampliando o conceito ao focar sua trama muito mais no mestre sábio desta vez. Se o personagem do saudoso Pat Morita era coadjuvante no original, desta vez sua narrativa é que ganha os holofotes. De forma muito bem-vinda, os acontecimentos de Karatê Kid 2 igualmente foram incluídos na série Cobra Kai (uma bela homenagem atual para a franquia). Karatê Kid 2 custou US$13 milhões aos cofres da Columbia (Sony) e só em seu fim de semana de estreia nos EUA recuperou quase tudo, terminando sua passagem pelos cinemas com impressionantes mais de US$115 milhões.

03 | Platoon

O cinema é uma arte extremamente eclética, no sentido em que existem filmes de todos os tipos e para todos os gostos. Sabemos que a maior fatia pagante das salas são os jovens, desta forma invariavelmente os filmes que mais arrecadam em bilheterias são os voltados para esta turminha. Porém, vira e mexe quando examinamos de perto as maiores bilheterias de cada ano, conseguimos notar quase sempre entre o top 10 uma produção que se destaca por não ser necessariamente voltada ao público adolescente. Muito pelo contrário! Este é o caso com Platoon, que há 35 anos se posicionou em terceiro no ranking dos filmes mais lucrativos de Hollywood. E bom, só podemos dizer para os mais novos e todos aqueles que não tiveram a chance de conferir o filme ainda que não percam mais tempo e corram para encontrar esta verdadeira obra-prima de guerra. A Guerra do Vietnã foi tema de muitas produções da sétima arte, e como na década de 1980 fazia relativamente pouco tempo do fim da mesma, o assunto ainda estava muito fresco na mente dos americanos. O que podemos dizer é que Platoon é um dos melhores, quiçá “o” melhor, a abordar o tópico. Dirigido por Oliver Stone e vencedor de 4 Oscar, incluindo melhor filme e diretor, Platoon custou para a Orion Pictures US$6 milhões e viu de retorno impressionantes mais de US$138 milhões em bilheteria.

02 | Crocodilo Dundee

Aqui temos mais um fenômeno surpresa. Como dito, desde seus primórdios, alguns tipos bem específicos de filmes faziam sucesso e eram considerados verdadeiros blockbusters, o cinema entretenimento fortificado após os anos 1980. Em sua maioria, superproduções de ação, esses arrasa-quarteirão eram produtos de entretenimento aparentemente feitos sob medida como uma espécie de fórmula. Porém, de forma surpreendente (e positiva), vira e mexe essa fórmula era quebrada. E assim, tínhamos entre as bilheterias mais ricas, filmes como o drama de guerra para adultos Platoon, e uma comédia romântica sobre um caipira da zona rural da Austrália (os outbacks) se sentindo um peixe fora d’água na maior metrópole do mundo: Nova York. Ninguém, nem mesmo os envolvidos poderiam prever a febre que Crocodilo Dundee seria há 35 anos. Não por menos, o longa “perdido no tempo” se tornou um dos maiores clássicos da Sessão da Tarde alguns anos depois, assim como sua continuação imediata. O filme da Paramount (de novo o estúdio da montanha) custou US$8.8 milhões e levou para os cofres US$174 milhões só nos EUA, e US$328 milhões mundiais, sendo um dos longas mais lucrativos não apenas de 1986, mas também de toda a década de 80.

01 | Top Gun – Ases Indomáveis

Há 35 anos no cinema, o estúdio mais lucrativo da época era a Paramount. Não teve para ninguém. São seus cinco dos dez filmes mais rentáveis daquele ano de 1986. E como tudo funciona em ciclos, o cinema não sendo exceção, alguns dos itens presentes nesta lista ainda se mantém ativos em novas produções até hoje, seja no cinema ou na TV, vide Karatê Kid (Cobra Kai), Jornada nas Estrelas e Alien. Agora, chega na lista em primeiríssimo lugar mais um. Top Gun – Ases Indomáveis por muitos anos, 35 exatamente, só existiu nos anos 80, como um filme sobre caças, romance e rock n roll. E mesmo assim o sucesso foi tanto que sua popularidade ecoa até hoje. Mesmo que jamais fosse feito qualquer outra produção desta marca. Como sabemos, no entanto, Top Gun: Maverick, a continuação tardia do longa, foi adiado de 2020 para este ano, e agora novamente para 2022. Os fãs terão que esperar mais um pouquinho para ver o retorno de Tom Cruise como o audacioso piloto de jatos, agora em outra fase de sua vida. Enquanto isso, a boa pedida é relembrar o original, que com um orçamento de US$15 milhões, rendeu mais de US$180 milhões somente nos EUA, e mais de US$357 milhões pelo mundo.

The post Os Maiores Sucessos do Cinema que Completam 35 Anos em 2021 first appeared on CinePOP.

Anúncio
Share.
Anúncio

Leave A Reply

Anúncio
Anúncio
ArabicChinese (Simplified)DutchEnglishFrenchGermanItalianJapanesePortugueseRussianSpanish