Anúncio
Anuncie
Anúncio

Todo e qualquer leitor do CinePOP já percebeu que por aqui além de filmes de super-heróis e blockbusters adoramos filmes de terror. Em especial a franquia slasher Pânico (1996-2011), criada por Wes Craven e Kevin Williamson. Embora não seja o criador do gênero, o filme ajudou a revolucioná-lo para os novos tempos e sua influência foi tão forte que é repetida até hoje. Ou seja, toda vez que você assistir a um filme de terror jovem com muitas referências, metalinguagem e humor, lembre de agradecer ao longa citado.

Com o quinto filme da franquia aguardando seu lançamento em janeiro de 2022, esta é uma época mais que especial para todos os fãs começarem a celebrar a querida série cinematográfica de terror e ir aquecendo os motores com os capítulos anteriores. O original, por exemplo, completa 25 anos de lançamento em 2021 – outro motivo de comemoração. O subestimado Pânico 4, também aniversaria, completando 10 anos de sua estreia este ano. Ou seja, não faltam motivos para festejar os filmes de terror (e quem sabe até mesmo a série – que teve três temporadas).

Para entrarmos no clima, resolvemos embarcar na onda dos fãs e suas teorias mais malucas. Ao lado de nossos colegas do Screen Rant, selecionamos as teorias mais loucas dos fãs sobre os quatro filmes e a série. Confira abaixo e comente dizendo quais fazem sentido e quais são o mais puro delírio fantasioso. Ah sim, lembrando que o texto está repleto de spoilers dos quatro filmes.

Anúncio

Kirby ainda está viva

Uma das personagens mais legais adicionadas à mitologia de Pânico foi Kirby, do quarto filme, interpretada por Hayden Panettiere. A loirinha rapidamente se tornou uma grande favorita dos fãs, com muitos assinando uma petição para que o estúdio a traga de volta no quinto filme. Só existe um problema: Kirby foi assassinada no terceiro ato de Pânico 4. Bem, ou será?

Embora a presença da atriz não tenha sido confirmada no elenco do quinto, os fãs possuem uma teoria de que ela não morreu de verdade, alimentada pelo próprio diretor, o saudoso Wes Craven, e pela intérprete da personagem. Nos comentários de bastidores do quarto filme, o diretor disse que propositalmente colocou Kirby se mexendo após ser esfaqueada para levantar a dúvida se ela estaria viva. O fato é que sempre que um personagem fica vivo na franquia, mesmo tendo sido gravemente ferido e dado como morto numa cena anterior, existe a confirmação de que ele sobreviveu ao desfecho do filme – o que não ocorre com Kirby.

Dewey é um Assassino

Bem, já podemos dizer de antemão que para nós essa teoria não passa de delírio fantasioso. O fato é que existe a teoria online dos fãs que afirmam que Dewey seria na verdade um assassino esse tempo todo, fingindo ser um trapalhão incapaz. Algo como o plot twist do thriller cult Os Suspeitos (1995), de Bryan Singer. Embora aqui, soe mais como algo saído da paródia Todo Mundo em Pânico (2000), que realmente trazia o “clone de Dewey” daquele universo como o principal culpado por tudo. Preferimos Dewey justamente do jeitinho que ele é: um amável trapalhão. Fora isso, o personagem chegou perto da morte inúmeras vezes ao longo de todos os filmes da franquia.

A Série é uma Ficção

Essa terceira teoria não fala de nenhum dos filmes lançados no cinema, mas sim teoriza sobre a série de TV Pânico. Lançado em 2015, o programa da MTV durou três temporadas até 2019, com as duas primeiras sendo basicamente uma reedição do que havíamos visto nas telonas até então. Quer dizer, os personagens principais das duas primeiras temporadas eram versões mais jovens do que havíamos visto no cinema, como a mocinha, o especialista em filmes de terror e o namorado suspeito. Até mesmo uma primeira vítima famosa tínhamos. Esses elementos levaram os fãs a criarem a teoria de que a série de TV nada mais era do que uma ficção, existindo dentro do universo fictício de Pânico. É como se os filmes “A Punhalada” fossem os “filmes dentro do filme” e a série de TV Pânico fosse “a série dentro do filme”. Você compra essa ideia?

The Following é o verdadeiro Pânico 3

Kevin Williamson é um dos nomes responsáveis pela existência e sucesso de Pânico no cinema. Porém, o roteirista se manteve fora do terceiro longa da franquia. Mas o escritor não deixou de escrever um tratamento do que ele queria que fosse a história. O problema? Seu texto tocava demais na ferida e com os ataques a colégios americanos, como Columbine, a história era simplesmente delicada demais. Assim tudo foi reescrito com uma trama passada em Hollywood. Mas a ideia de Williamson não passou em branco e muitos fãs teorizam que o autor reaproveitou sua narrativa para a série The Following, com Kevin Bacon, a qual também criou. A trama fala sobre um assassino que desperta uma legião de imitadores – igualzinho ao que veríamos em Pânico 3, de Kevin Williamson.

Roman é o terceiro assassino de Pânico

Ainda no quesito de Pânico 3, o filme, digamos, menos apreciado pelos fãs, existe uma teoria que diz respeito ao assassino daquele filme, o diretor de cinema Roman. No final, ele se revela o assassino, mas não apenas isso, como também irmão de Sidney e o orquestrador por trás de tudo, desde o filme original. Segundo o desfecho do terceiro, ele foi o responsável por atiçar o instinto assassino de Billy e Stu, ao revelar a traição do pai do rapaz com a mãe de Sidney (e dele próprio). Até aí tudo bem, está tudo dito no filme. Porém, os fãs vão além, acreditando que Roman já estava incluído na trama do original, aparecendo em algumas cenas vestido como Ghostface para escolher as próximas vítimas de Billy e Stu. Essa achamos um pouco demais, afinal, quando Pânico foi lançado nos cinemas ninguém, nem mesmo os criadores, sabiam que iria gerar o filme dois, quanto mais o três…

Rumores sobre Pânico 5

Tendo em vista que Pânico 5 tem mantido sua trama em segredo guardado à sete chaves (e assim deve permanecer), os fãs estão em polvorosa teorizando sobre tudo e mais um pouco. Uma das teorias é a de que possivelmente um dos três protagonistas – Sidney, Dewey e Gale – não sobreviverá desta vez, ou quem sabe os três sejam eliminados, abrindo espaço para uma nova protagonista da série. Bem, isso não é muito uma novidade e vem sendo teorizado desde a primeira continuação, com o trio sempre chegando perto de bater as botas. No entanto, seria uma boa forma de passar o bastão, afinal o trio já é quase cinquentão e ainda estão fugindo de pirralhos mascarados. Outra teoria sobre uma possibilidade narrativa do quinto diz respeito à Jill, a prima psicopata de Sidney. Alguns fãs acreditam que ela possa ter sobrevivido e que a trama a incluiria.

Stuart em Pânico 2

Stuart, ou Stu, é um dos assassinos do filme original. O sujeito amalucado também se tornou um dos personagens mais queridos da franquia. Uma curiosidade é que o roteiro original de Kevin Williamson para Pânico 3 iria realmente revelar que Stu não morreu com os ferimentos no primeiro Pânico e voltaria no terceiro. A ideia foi descartada. Porém, os fãs ainda mantêm a esperança de que o personagem possa aparecer em algum momento. E a teoria aqui envolve o segundo filme. O intérprete do personagem, Matthew Lillard realmente aparece como um figurante em Pânico 2, porém de cabelos loiros compridos (provavelmente uma peruca). O que acontece é que Lillard foi visitar o set dos amigos e acabou gravando um momento em que só os fanáticos conseguem aponta-lo lá no fundo da tela. Isso bastou para que teorias surgissem afirmando que aquele não era apenas Lillard como figurante, mas era também Stu espreitando para um retorno.

A Roupa Sobrenatural

Essa é uma das mais insanas teorias e também uma das mais curiosas. Não é novidade termos cineastas aderindo às teorias dos fãs e realmente as incluindo em suas narrativas. Mas acredito que se um dia quiserem incorporar essa, iria acabar com todo o propósito e a graça da franquia. Aqui, os fãs juram de pés juntos que a fantasia do Ghostface dá para o assassino que a usa superpoderes. Sim, isso mesmo que você leu. Existe uma teoria online de que o uniforme do vilão daria super força e resistência para o psicopata que a use, explicando assim como alguns dos assassinos mirrados sobrepujam suas vítimas e também como sobrevivem a tamanho dano causado ao longo da projeção. Apenas não sabemos como isso funcionaria, já que cada assassino usa uma fantasia diferente e não a mesma sempre.

A Metalinguagem Definitiva

Os filmes da franquia Pânico sempre foram conhecidos por seu alto nível de metalinguagem. É como se os personagens não apenas soubessem tudo sobre filmes de terror, mas inclusive soubessem que estão dentro de um filme de terror. Bem, alguns fãs foram ainda mais longe nesta “viagem” e começaram a teorizar o seguinte: e se os filmes da franquia Pânico fossem na verdade filmes eles mesmos, adaptações dos livros da autora Gale Weathers sobre o que realmente aconteceu na vida real.

Ou seja, aí teríamos com “A Punhalada”, o filme dentro do filme dentro do filme. Já explodiu sua mente? Segundo os fãs, isso explicaria o grande exagero físico que alguns dos filmes possuem, sem muita ligação com a física ou a realidade. E também o fato de Gale sempre ser retratada de forma heroica. Segundo os fãs, isso se deve porque tudo o que vemos é baseado no que ela escreveu. Creio que se fosse o caso, muitos ficariam não muito felizes de ver quatro filmes, sem nunca ter visto a “história verdadeira”.

Bônus: O segundo Assassino de Pânico 3

Aqui resolvi entrar na brincadeira e participar eu mesmo com a minha própria teoria sobre a franquia Pânico. Não sou muito de embarcar em teorias, pois acredito que tudo que vemos em tela foi o que o realizador quis nos mostrar e não sou adepto de “continuar o filme fora das telas”. Ou seja, por mais que sejam divertidas, não acredito muito em nenhuma destas teorias apresentadas acima. Na que eu acredito é nesta que irei revelar aqui. Pânico 3 é o mais irregular da franquia. Isso porque teve um roteiro picotado pelo estúdio. A ideia original era ter dois assassinos, assim como todos os demais filmes da franquia. Porém, ao final temos revelado apenas um: Roman.

Se você buscar online verá que existem diversos relatos de pessoas envolvidas na produção afirmando que a segunda assassina seria Angelina, a atriz vivida por Emily Mortimer – que era namorada secreta de Roman. Em vários trechos do filme Angelina aparece de forma suspeita para os personagens no filme e o público: seja ao sobreviver uma explosão e sumir, seja num banheiro pega no flagra ao vestir a fantasia do Ghostface e até mesmo em “sua morte” fora de tela, estrategicamente armada de longe. Claramente também durante alguns ataques no filme notamos que seriam necessárias duas pessoas para encaixar o tempo do assassino. Então, na verdade, o segundo assassino de Pânico 3 é mais que uma teoria, é na verdade uma edição remendada que deixa pontas soltas devido a um roteiro modificado.

The post Esquenta PÂNICO | O 3º Filme tinha mais um assassino? Conheça várias teorias BEM interessantes! first appeared on CinePOP.

Anúncio
Share.
Anúncio

Leave A Reply

Anúncio
Anúncio
ArabicChinese (Simplified)DutchEnglishFrenchGermanItalianJapanesePortugueseRussianSpanish