Steam Deck LCD vs Steam Deck OLED: quais são as diferenças

Paulo Boaventura
100 Views
12 Min Read

Steam Deck LCD vs Steam Deck OLED: quais são as diferenças
Créditos: Divulgação/Valve

O portátil Steam Deck foi uma aposta ousada da Valve para você reproduzir jogos de PC em um dispositivo compacto. Lançado no início de 2022, o dispositivo foi bem recebido comercialmente e só agora a sua venda começou a desacelerar.

Só que a criadora do Steam e de franquias como Half-Life e Portal não esperou as más notícias para anunciar em novembro de 2023 o Steam Deck OLED, uma atualização do modelo original que melhora algumas especificações técnicas e atender certos pedidos da comunidade.

Mas quais são exatamente as diferenças entre essas duas versões? Elas são pontuais ou mudam radicalmente a experiência a ponto de valer o investimento imediato no novo modelo? Confira a seguir um comparativo.

As diferenças entre o Steam Deck LCD e OLED

Tela

A alteração mais radical na atualização entre os dois Steam Deck atualmente no mercado está no display, como o próprio nome dos modelos já entrega. A resolução de tela (1280 x 800 pixels) e o aspecto não mudam, mas as semelhanças param por aí.

O modelo original do Steam Deck traz as seguintes configurações de tela: um painel de 7 polegadas com taxa de atualização de até 60 Hz e 400 nits de brilho.

Fonte da imagem: Divulgação/Valve

Já a atualização OLED vem com uma tela de 7,4 polegadas com suporte para HDR e um brilho que vai a até 1000 nits (em HDR) ou 600 nits (nos formatos tradicionais de exibição de imagem). A taxa de atualização é de 90 Hz e o tempo de resposta é inferior a 0,1 ms.

Segundo a fabricante, o OLED traz “cores mais brilhantes e pretos mais intensos”, com o painel sendo projetado “do zero” para jogos. Ele ainda tem uma responsividade melhor para comandos de toque. Por fim, o modelo mais novo tem um sensor de luz ambiente duplo, enquanto o sensor é único no LCD.

Design

Visualmente, o Steam Deck LCD e OLED não aparentam diferenças radicais se posicionados lado a lado. Afinal, ambos trazem o mesmo posicionamento de botões e trackpads, além das mesmas dimensões.

Só que há algumas variações sutis. O modelo OLED tem uma resposta tátil de alta definição graças a um trackpad redesenhado. Ele apresenta ainda uma ventoinha maior e mais silenciosa, com um sistema de dissipação de calor que faz o dispositivo aquecer menos. Além disso, os joysticks ficaram 1mm mais altos e trazem uma textura aprimorada mais resistente.

O som permanece o mesmo em componentes, mas os alto-falantes ficaram maiores. Outra boa notícia é o reparo facilitado por várias alterações simples na posição de componentes e dos parafusos externos. O peso do portátil também foi reduzido na variante mais recente, passando de 669g para 639g.

Em termos de acessórios, outra evolução: o cabo de alimentação de energia passou para 2,5 m (no OLED) em comparação com o de 1,5 m do modelo LCD.

Processamento

As especificações técnicas do processador em termos de núcleos e frequências são as mesmas. Além disso, ambos não trazem um modo “Turbo” de desempenho.

A dupla roda a partir de uma APU da AMD com CPU de arquitetura Zen 2 com 4 núcleos e 8 threads, a uma frequência que vai de 2,4 a 3,5 GHz. Já a GPU é formada por 8 unidades de computação de arquitetura RDNA 2 a uma frequência de 1,6 GHz.

Fonte da imagem: Divulgação/Valve

Só que o desempenho no modelo OLED é considerado mais eficiente por uma otimização no chip, que tem arquitetura de 6 nm (de codinome “Sephiroth”) no lugar dos 7 nm oferecidos pela versão LCD (a APU “Aerith”, também chamada de Van Gogh). Na prática, testes externos mostram que a latência de comandos é consideravelmente menor no modelo OLED, em especial pela otimização a nível de firmware).

Memória e armazenamento

Os dois Steam Deck atualmente no mercado trazem os mesmos 16 GB de RAM padrão LPDDR5. O que muda é a velocidade em transferências por segundo, com a taxa de dados efetiva calculada em MT/s (megatransferências por segundo):

  • Steam Deck LCD: 5.500 MT/s
  • Steam Deck OLED: 6.400 MT/s

O armazenamento interno apresenta mudanças mais significativas nas opções oferecidas, mas os dois aparelhos contam com o mesmo módulo de SSD padrão NVMe M.2 2230. A versão LCD apresenta variantes com as seguintes capacidades: 64 GB, 256 GB e 512 GB (todos os modelos incluem uma entrada de cartão microSD).

Já o OLED só tem versões de 512 GB e 1 TB — que devem ser mais comuns no mercado; só a versão de 256 GB do Steam Deck LCD deve continuar sendo fabricada, enquanto as demais não terão o estoque atual renovado. Ambos os modelos incluem uma entrada de cartão microSD para expandir o espaço interno.

Bateria

Em um aparelho portátil que você pode usar fora de casa e longe de fontes de energia, a bateria é um tópico sensível. Para manter o dispositivo compacto, em muitos casos esse é o elemento que costuma ser sacrificado.

O Steam Deck original tem uma bateria de 40 Wh que garante entre 2 a 8 horas de jogo, em uma estimativa feita pela própria companhia. Ele vem ainda com uma fonte de alimentação de 45 W com saída USB-C, compatível com padrão USB PD 3.0.

Conteúdo Relacionado

Já o modelo OLED do Steam Deck aprimora esse componente. A bateria passa para 50 Wh, que é o equivalente entre 3 a 12 horas de jogo, apresentando a mesma fonte de alimentação de 45 W com saída USB-C e compatível com padrão USB PD 3.0.

Na prática, segundo testes realizados pelo Digital Foundry, o Steam Deck OLED oferece até 45% de ganho em duração de bateria quando comparado com a versão LCD.

Isso porque a alteração não é apenas na capacidade aprimorada em armazenamento de energia. Para a nova versão, foram diversas as melhorias a nível de software e hardware que garante mais horas de jogatina sem precisar de recargas — incluindo a própria tela OLED, que é mais econômica, o processador revisado e atualizações pontuais que resultam em ganhos no desempenho.

Conectividade

Em termos de conectividade, ambos os modelos contam com internet sem fio Wi-Fi e pareamento com controles e acessórios via Bluetooth. A diferença está no padrão e na geração de cada uma dessas tecnologias.

O Steam Deck LCD tem Wi-Fi 6 de banda dupla (2,4 GHz e 5 GHz) e Bluetooth 5.0. Já o modelo OLED vem com um Wi-Fi 6E melhorado. Esse protocolo mais recente tem três bandas, incluindo uma nova de 6 GHz, o que significa downloads “entre duas e três vezes mais rápidos” e menor latência nos jogos online.

A edição OLED especial para EUA e Canadá, transparente, com detalhes vermelhos e case exclusivo. (Fonte da imagem: Divulgação/Valve)

Já o Bluetooth 5.3 tem uma antena dedicada para trazer mais estabilidade, além das tecnologias AptX HD e AptX Low Latency para som em alta resolução e baixa latência nos fones sem fio.

Preço

Apesar de não ser considerada a “segunda geração” do Steam Deck, a versão OLED do portátil traz valores bem diferentes (e mais altos) do que o modelo original. A atual configuração de preços do portátil é a seguinte, em dólar e no valor aproximado em reais com conversão direta de moeda:

  • Steam Deck LCD de 256 GB — US$ 399 (R$ 1.945)
  • Steam Deck OLED de 512 GB — US$ 549 (R$ 2.670)
  • Steam Deck OLED de 1 TB — US$ 649 (R$ 3.165)

Além disso, as duas versões restantes estão em promoção enquanto durarem os estoques: o modelo LCD de 64 GB sai por US$ 349 (cerca de R$ 1,7 mil) e o LCD de 512 GB custa US$ 449 (aproximadamente R$ 2,1 mil).

Em outras palavras, o salto para o modelo OLED é significativo — 150 dólares de uma versão para outra — e a tendência é que a variante LCD seja colocada como a opção “de entrada” do Steam Deck, aos poucos substituída pela mais recente.

Conteúdo Relacionado

Vale lembrar que o Steam Deck não é vendido de forma oficial pela Valve no Brasil e a situação não mudou até a publicação deste texto.

Veredito

O Steam Deck OLED pode ser considerado a “versão definitiva” da primeira geração do portátil para jogos da Valve — e dificilmente terá mais uma atualização, sendo que a própria fabricante confirmou que uma segunda geração “vai demorar”.

As evoluções do modelo OLED de 2023 para o LCD de 2022 são notáveis e em vários campos: performance, bateria, tela, opções de armazenamento, padrão de conectividade e até posicionamento de componentes melhoraram de um dispositivo para outro.

Porém, o fator preço é relevante, já que a diferença entre ambos é considerável e o aparelho em si é caro de qualquer jeito Se você estiver mais limitado em orçamento, a versão original ainda é bastante indicada: em nosso review, chamamos o modelo de “um dos hardwares mais interessantes” do fim do ano passado e “um trabalho excelente tanto em hardware (…) quanto na parte de software”.

Por outro lado, optar pelo Steam Deck OLED é garantir o melhor desempenho que a companhia pode oferecer atualmente em termos de rodar jogos da loja para PC em um aparelho que cabe nas suas mãos.

Fonte: Valve

Conteúdo Relacionado


Fonte: Adrenaline

TAGGED:
Share This Article