ClubNation;
Equipe

 

Audio:

 

Serei imparcial sobre este fato. Defendendo os diretos humanos ou apenas analisando o que deveria ser direito humano. Afinal tem coisas que não vejo respostas.

O caso foi parar na mídia, devido ao abuso de poder por parte da Policia Militar da cidade de São Paulo. Esta mesma, que é acusada de mortes de inocentes e que sua reputação é das piores possíveis, quando se trata de Diretos Humanos. E não seria diferente, com uma Travesti. Na verdade posso dizer que conhecemos o fato no final. Este só teve tal repercussão porque Verônica, mordeu a orelha do carcereiro que foi obrigado a fazer corpo de delito e mais uma ocorrência foi registrada no B.O de Verônica. Tornando o fato público.

E com isso, vieram as fotos para as redes socias, de uma orelha, uma tortura e uma idosa. Mas o fato não deveria começar com a idosa? Afinal, vende mais tortura do que idosos, em nosso país.

A “mídia”, não sabia até então que Verônica agrediu uma idosa?! E que uma idosa agrediu uma travesti com palavras. (O que creio que deve ter acontecido para tal agressão).
Como todos eu conheci os fatos pela tortura de Verônica e depois outros fatos. No final conheci o começo…

 

Verônica entrou no apartamento da idosa (Laura P., de 73 anos), iniciando assim “sem motivos”, a agressão. Isto é, o que a idosa diz em sua entrevista ao R7. (http://bit.ly/1DoU6c0). Agora aonde que ocorre tanta violência, sem provocação nenhuma? Quando você não faz nada. Nada deveria acontecer…
 

A idosa mesmo disse que ela tinha frases de raiva e ódio, como: "Você é o Satanás e eu vou te matar". E pelos hematomas ela estava com irá. Causando assim até traumatismo craniano. Que absurdo… Como alguem faz isso, sem ter raiva?
Nesta mesma entrevista a idosa repete que nunca foi contra ninguém e que simplesmente, abriu a porta e começou ás agressões. SERÁ? Passado as primeiras agressões. Verônica decide voltar ao apartamento e arromba a porta para agredir mais ainda a idosa.
Como uma pessoa que não tinha provocado NADA, teria provocado tanta discórdia? Ninguém bate em ninguém por nada, correto?

O exemplo é a própria policia de São Paulo, que torturou Verônica por ela, ter agredido uma idosa, por resistir a prisão e por desacato. Tudo tem um motivo. Os policiais então por ódio reuniu o "pelotão", que estava presente para humilhar. Logo se vê que eles retiram seus cabelos. Agrediram com ou sem ajuda de presos, até o ponto de chegar a tanto que já podemos considerar como tortura. Não quero dizer, que o motivo da tortura se deve como exemplo. Mas o fato é que, se não tivesse agredido a idosa não teria acontecido tal descumprimento dos Diretos Humanos. Porque quando falamos de Direitos Humanos estamos falando de leis.

 

 

Analisando o fato pelo inicio

Verônica foi presa por diversas coisas…
Ela agrediu uma idosa, resistiu a prisão e desacatou. Ela me parece ser agressiva como já teve tantos enquadrantes, apos a agressão a idosa. O que me chama à atenção, foi o fato de estarmos lidando com um caso de direitos humanos, porque quem seria a vitima no caso seria a idosa. Mas reafirmo que esta senhora deve ter tido algum tipo de “excitação ao ódio e homofobia”.  Como disse nesta coluna, quero ser o mais imparcial possível.

A idosa, corretora de seguros que estava trabalhando na hora da agressão, em nenhum momento de sua entrevista disse o real motivo da violência. Agora ninguém bate em uma pessoa por 30 minutos, arromba a porta e faz um traumatismo craniano. Sem ter feio nada? Na psicologia, até mesmo em sociopatas este fato não seria possivel. O que carateriza ocultação de informação. Como disse no inicio desta coluna, tem coisas que não vejo respostas.


Por fim, o caso esta sendo resolvido pelo Ministério Publico, que é o único que consegue resolver alem de direitos humanos o enquadrante dos responsáveis pela tortura.
Espero que isso não seja avisos, que a ditadura voltou.
Já que tantos pediram na avenida paulista da bela vista ao viaduto do chá.


Paulo Boaventura